Ascaridose - Ascaris suum

  • O parasita mais comum encontrado em suínos e o mais relevante a nível economico2.
  • Mais de 70% das explorações no Reino Unido sofrem de Ascaris suum1 e todos os tipos de explorações de suínos podem estar em risco.

 

 

PTFCAEBR00007

 

Ciclo de vida

 

Pode levar várias semanas até que a larva se desenvolva dentro do ovo e se torne infecciosa. Os ovos quando atingem o estômago e o intestino, libertam as larvas que se introduzem nas veias intestinais e migram para o fígado (manchas leitosas) 2. No fígado, as larvas sofrem uma metamorfose e atingem, através da veia cava, o coração e os pulmões. Do pulmão, as larvas migram para os brônquios e atingem assim, após deglutição, o intestino delgado onde se desenvolvem em vermes adultos iniciando a postura. Este ciclo pode ser concluído em seis semanas 2.

 

 Clique aqui para ver a imagem do ciclo de vida Ascaris suum2

 

Voltar ao início

Sinais Clinicos

  • As larvas na sua migração pelo fígado provocam a destruição do tecido hepático com formação posterior de tecido cicatricial. Estas lesões são as chamadas “manchas leitosas”2
  • A manutenção da migração larvar ocasiona alterações patológicas importantes, tais como febre, tosse e dificuldades respiratórias. São os sintomas da pneumonia por ascarídeos.
  • Tanto a taxa de crescimento como a conversão alimentar podem sofrer uma redução até 10%12


 Voltar ao início

 

Como posso saber se os meus animais têm Ascaris suum

As manchas leitosas nos suínos causadas por Ascaris suum podem ser observadas 4 semanas antes do abate2. Infestações anteriores também são possíveis; no entanto, a capacidade do fígado para regenerar significa que os vermes anteriores não são detectáveis no matadouro.

Isto significa que o fígado pode parecer normal durante a inspecção, no entanto os seus porcos podem ainda estar infectados com Ascaris suum.


Voltar ao início

Impacto nas finanças e produtividade

 

Estas infestações estão associadas a uma diminuição da produtividade dos suínos e têm um efeito negativo direto sobre o ganho médio diário de peso vivo.3

Os Ascarídeos podem causar2:

  • A perda de condição corporal esubsequente impacto económico– agravando o ICA (índice de conversão alimentar) e o GMD (ganho médio diário) 8-12
  • A carcaça e a qualidade da carne também é afectada e pode incorrer em custos adicionais para a indústria de suínos 5-8
  • Comprometimento da capacidade de produzir resposta à vacinação4
  • Tosse

 

Voltar ao início

Prevenção e controlo

 

  • Parques contaminados são a fonte mais comum de infecção , logo a adopção da estratégia ‘all-in all-out’ é muito importante para o controlo.
  • Uso de um anti-helmíntico eficaz contra os estágios maduros e imaturos dos vermes ajuda a reduzir a perda de produtividade.  

 

Voltar ao início

 

Referências


1.  Sanchez-Vazquez MJ, Smith RP, Kang S, Lewis F, Nielen M, Gunn GJ, Edwards  SA. 2010. Identification of factors influencing the occurrence of milk spot livers in slaughtered pigs: A novel approach to understanding Ascaris suum epidemiology in British farmed pigs. Vet Parasitol, 173, p 271-279.

2.  Stewart TB, Hoyt PG. 2006.  Internal parasites. In: Straw, B.E., Zimmerman, J.J., D’Allaire, S., Taylor, D.J. (Eds.), Diseases of Swine, 9th ed. Blackwell Publishing, pp. 901–914


3.  Kipper M, Andretta  I, Monteiro  SG, Lovatto PA, Lehnen CR. 2011. Meta-analysis of the effects of endoparasites on pig performance. Vet Parasitol, 27;181,  p 316-320.


4.  Steenhard NR, Jungersen G, Kokotovic B, Beshah E, Dawson HD, Urban JF Jr, Roepstorff A, Thamsborg SM. 2009. Ascaris suum infection negatively affects the response to a Mycoplasma hyopneumoniae vaccination and subsequent challenge infection in pigs. Vaccine, 27, p 5161-5169.


5.  Knecht D, Popiołek M, Zales´ ny G. 2011. Does meatiness of pigs depend on the level of gastro-intestinal  parasites infection? Prev Vet Med, 99, p 234-239.


6.  Knecht D, Jankowska A, Zales´ ny G. 2012. The impact of gastrointestinal parasites infection on slaughter efficiency in pigs. Vet Parasitol,184, p 291-297.


7.  Theodoropoulos G, Deligeorgis S, Fegeros K, Papavasiliou D, Rogdakis E. 2004.Influence of natural parasitism on meat quality criteria and carcass weight of pigs kept under outdoor farming conditions. Agricoltura mediterranea, 134, p 68-76.


8.  Kanora A. 2009.  Effect on productivity of treating fattening pigs every 5 weeks with flubendazole in feed. Vlaams Diergeneeskundig Tijdschrift, 78, p 170-175.


9.  Kanora  A, Rochette  F, Vlaeminck K, Goossens L. 2004.  Economic appraisal of the treatment regime with Flubenol® 5% medicated feed every 5 weeks on fattening pigs. IPVS 2004, Proceedings, Vol. II, p 582.


10. Kirwan P, MacDonald P, Kanora A. 2004.  In field results in the use of a strategic de-worming program  in an integrated  sow herd in Ireland. IPVS 2004,  Proceedings, Vol. II, p 584.


11. Stewart TB, Hale O. 1988. Losses to internal parasites in swine production. J Animal Science 66 1548-1554.


12. Hale O, Stewart TB and Marti OG. 1985 Influence of an Experimental Infection of Ascaris suum on performance of pigs. J Animal Science 60 220-225.


13. Based on 10% increase in FCR during the finishing period after Ascaris suum infestation (as reported by Hale et al 1985) and £0.25/kg of finishing feed